COVID-19: Dispara o consumo de sites de informação online

Consumo semanal, medido pelas visualizações, aumentou em Portugal nas últimas duas semanas à boleia do surto de novo coronavírus, conclui a Marktest
Em tempos de quarentena, teletrabalho e isolamento voluntário por causa do surto de novo coronavírus, que provoca a doença conhecida por covid-19, os portugueses aumentaram o consumo de internet – e os meios de comunicação social com presença online beneficiaram com isso.
Entre 6 de janeiro e 23 de fevereiro, o consumo semanal de pageviews [visualizações] nos sites de nacionais informação manteve-se mais ou menos constante, começando a subir ligeiramente depois disso e disparando nas últimas duas semanas em relação ao início do ano, mostram dados da Marktest.
Os dados – que incluem tráfego nacional, a partir de todas as principais plataformas (smartphone, computador e tablet), de entidades auditadas pelo netAudience – mostram ainda que o conjunto dos sites televisivos passou para a segunda posição da tabela, seguido das rádios (excluindo a estações RDP – Radiodifusão Portuguesa, que estão agregadas na RTP).
Entre a semana de 2 e 8 de março – altura em que surgiram os primeiros casos de coronavírus em Portugal – e a semana de 16 e 22 de março, as visualizações semanais de sites de informação aumentaram de 100 milhões para 160 milhões, disparando 68% na primeira semana e 78% na segunda.
A televisão também cresceu 21% e 7% em cada uma das semanas, respetivamente, os sites de serviços aumentaram 23% na semana de 16 a 22 de março e as rádios cresceram 10% na primeira semana, voltando depois à média das semanas anteriores.
Já os sites de desporto registaram uma quebra (-31% na segunda semana), tal como os focados em temáticas de social e vida (-23%).

Bourbon Maria, 25.03.2020, “Covid-19. Isolamento social faz disparar consumo de sites de informação online”; Expresso, disponível em: https://expresso.pt/coronavirus/2020-03-25-Covid-19.-Isolamento-social-faz-disparar-consumo-de-sites-de-informacao-online